Tag Archives: monopólio

7D, Argentina

Amanhã encerra o prazo para que todos os grupos de comunicação da Argentina se adequem à nova Ley de Medios. Embora muito se comemore a possibilidade de desconcentração dos meios de comunicação, organizados em verdadeiros monopólios e oligopólios em quase toda a América Latina, há muito que se debater sobre as consequências de tal iniciativa governamental. Basta lembrar que o principal alvo do governo argentino é o grupo Clarín, antigo aliado dos Kirchner, que detém mais de 250 concessões… Outra crítica importante é que, na prática, a luta entre o gov e o monopólio vem funcionando como cortina de fumaça sobre uma possível tomada da palavra por parte das emissoras comunitárias: os processos para obter concessão continuam demasiadamente burocráticos, demandam investimentos financeiros bastante razoáveis, sem nenhuma garantia de que, ao fim do processo, conseguirão sua permissão.

Show do Governo Argentino

Cartaz dos Peronistas 7D

Manifestação Contra a Rede Globo

  • sábado, 17 de Março de 2012
  • 12:00 até 16:00
  • No Rio de janeiro
    Rua Von Martius, 22 – Jardim Botânico
    Concentração: Jardim botânico esquina Pacheco Leão, ponte de tábuas.

    SÃO PAULO: http://www.facebook.com/events/331444253567180/
    BELO HORIZONTE: http://www.facebook.com/events/392487284101936/?context=create
    SALVADOR: http://www.facebook.com/events/236597586429663/

    Objetivos

    • Curto prazo: Iniciar um processo de desmistificação desta emissora (e da grande mídia em geral) como fonte confiável de informação para a população;

    • Médio e longo prazo: fazer deste protesto apenas o primeiro de muitos, em conjunto com os diversos movimentos e coletivos do país, para forçar os grandes grupos da mídia a pautarem suas diretrizes pela ética e imparcialidade jornalística.

    Diretrizes

    • Protesto Apartidário: Para que a mídia não rotule e desqualifique a manifestação;

    • Os coletivos e pessoas autônomas que participarem terão autonomia para utilizarem quaisquer recursos que julgarem interessantes para alcançar os objetivos do protesto.